Planejar é Preciso

Parafraseando o general romano Pompeu o qual proferiu a famosa frase “Navegar é preciso; viver não é preciso”, bem como evocando o autor que a imortalizou – Fernando Pessoa – inicio o primeiro artigo do ano.

Há uma nítida ambiguidade nesta frase, a qual se situa entre a literalidade de lançar-se ao mar e a subjetividade da inconstância de viver. Tanto no período de expansão do Império Romano, quanto, no século XVI, momento em que se formam os Estados Nacionais e se inicia o processo das Grandes Navegações: era preciso, ou seja, necessário navegar, nem que para isso fosse preciso arriscar a própria vida.

Ocorre que esta afirmação guarda uma análise existencial importante: navegar é preciso no sentido de precisão. É possível lançar mão de equipamentos, ferramentas e recursos para se avaliar as correntes marítimas, a direção dos ventos, a ocorrência de acidentes geográficos; porém esta mesma precisão não se encontra quando falamos de vida.

Nesse sentido, é que afirmo: planejar é preciso, isto é, existem ferramentas, templates e matrizes que nos possibilitam planejar; entretanto, ao irmos para campo, ao nos colocarmos em travessia na vida, a precisão pode não nos ser amiga.

Por isso, é preciso ter Plano B, bem como leveza e flexibilidade para saber que nem tudo acontece como almejamos e planejamos. Contudo uma coisa é certa, se o imprevisto desestabiliza os que estão planejados, que dirás o que sequer pararam para ajustar o leme e definir a rota.

Nesse sentido, é necessário saber em qual porto se quer chegar, afinal, como já afirmava o filósofo Sêneca: “quando se navega sem destino, nenhum vento é favorável.”

Aproveite o início do ano, para se planejar, faça valer esse patrimônio valioso, chamado tempo. Otimize-o, sabendo exatamente onde se quer atracar, ainda que temporariamente, até se definir qual será o próximo porto.

Não desamine, porém, se as coisas não saírem exatamente do modo em que planejou. Mantenha-se leve a ponto de ter a maleabilidade da água que muda o seu curso diante do obstáculo, mas que não perde as suas propriedades, tampouco se enfraquece.

Planejemos com a mesma intensidade com que devamos viver, afinal, como diz David Starr Jordan, “O mundo se afasta e dá passagem para o homem que sabe aonde vai.”

Feliz 2018!

Deixe o seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *